sábado, 25 de novembro de 2017

Uma história muito triste de um trabalhador brasileiro que está cortando o coração dos internautas...

Segundo informações do site 'Sociedade Oculta', um homem chamado Aurélio Rodrigues, de 54 anos, muito conhecido no bairro Marabaixo, Zona Oeste de Macapá, trabalhava como carpinteiro de quintais, oferecendo seu serviço por 30 até 50 reais, teve um fim injusto.


Após quatro meses se queixando de dores, Aurélio Rodrigues começou uma verdadeira peregrinação em unidades de pronto atendimento da rede pública, a fim de descobrir a causa para as suas dores que o impediam de trabalhar, mas infelizmente sua peregrinação terminou em um caixão na última quarta-feira(22).

Natural do Maranhão, Aurélio vivia sozinho em um barraco de madeira de 4 metros de comprimento no bairro de Marabaixo. Pai de um casal de filhos, onde segundo informações de vizinhos, a moça vive em extrema pobreza e o filho é pai de família e exerce o mesmo trabalho do pai, morando em um bairro próximo.

Aurélio teve a ajuda dos vizinhos logo que começou a sentir suas dores, onde os mesmo desconfiaram que ele estava com alguma doença na próstata, mas quando chegavam ao hospital público em busca de ajuda, aplicavam remédios para dor, sem realizar nenhum exame específico.

"Sempre que íamos ao Hospital de Emergência aplicavam remédios pra dor, mas nunca faziam os exames nele porque diziam que não tinha como fazer. Não tinha equipamentos", contou um dos vizinhos que ajuda Aurélio.


Após a insistência, conseguiram realizar alguns exames em Aurélio, no Hospital de Clínicas Alberto Lima, quando os exames não detectaram nada, ficando somente em uma suspeita de um problema renal. "A suspeita era de um problema renal, e seria necessária uma cirurgia. Os exames não deram em nada. Depois de muita luta conseguimos uma vaga pra ele no Hospital de Santana , mas já era tarde", contou outro vizinho que acompanhou todo o sofrimento de Aurélio.

Esquecido pelo poder público, mas não pelos amigos que construiu no bairro, Aurélio ainda teve mais um problema. Segundo os amigos que queriam dar ao menos um velório digno para Aurélio, foram até a Paróquia de Santa Terezinha, no Marabaixo, solicitar ao padre responsável que o velório fosse realizado no local, mas a resposta entristeceu os amigos de Aurélio. "O padre disse que ia atrapalhar a missa e o terço dos homens. Faltou boa vontade", queixou-se um dos amigos de Aurélio.

Uma equipe de reportagem local foi até a paróquia a fim de esclarecer o assunto, mas não teve resposta sobre o assunto. Mas os amigos não tiveram outra solução a não ser levar o corpo de Aurélio até a praça pública e realizar a cerimônia de velório para o amigo falecido. Aurélio foi enterrado no cemitério São Francisco de Assis, que fica na BR-210. Informações "Sociedade Oculta".

0 comentários:

Postar um comentário