quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Marina Ruy Barbosa é estrela de campanha polêmica
Na última segunda-feira(23), foi lançado o papel higiênico preto pela famosa empresa 'Personal', onde no lançamento do mais novo produto a empresa usou como slogan a hashtag #Blackisbeautiful. O termo usado pela empresa através da hashtag foi criado na década de 1960 por artistas e intelectuais para combater o racismo, só que não foi muito bem vista por internautas, que acusaram a empresa de fazer uma propaganda racista.

A propaganda despertou um imenso debate nas redes sociais, onde muitos se manifestaram contra a empresa, afirmando que o slogan utilizado pela Personal foi desrespeito aos negros.


""Negro é lindo. Na década de 60, punhos cerrados se ergueram ao ar para eliminar a noção de que as características naturais de pessoas negras - como cor da pele, traços faciais e cabelo - eram feias. A frase (e a ideia) eternizou. Agora, a Personal pega esta MESMA frase - hoje, hastag - e ESVAZIA o seu significado para promover um papel higiênico preto. Um tremendo desrespeito aos revolucionários da década de 60. Um desrespeito descomunal a nós negros, que bebemos desta fonte para nos fortalecermos", afirmou um internauta.


Já o escritor Anderson França, não deixou passar despercebida a propaganda da empresa, considerando a atitude como um dos "mais graves ataques racistas praticados por uma empresa brasileira". ""A Santher - Fábrica de Papel Santa Therezinha S/A, detentora da marca Personal, decidiu que aqui no Brasil essa expressão deve se referir não ao histórico de lutas de lideranças pretas americanas e de outras pelo mundo, mas a Santher, numa atitude racista e irresponsável, consciente e deliberada, decidiu que essa expressão deve remeter a papel higiênico, cuja função qualquer pessoa conhece. Esse não é senão um dos mais graves ataques racistas praticados por uma empresa brasileira", destacou o escritor.


Diante da enorme repercussão negativa criada com o lançamento do primeiro papel higiênico preto no Brasil, a empresa fez uma nota oficial afirmando que jamais teve a intenção de provocar uma discussão de cunho racial, mudando o slogan da campanha. "Desta forma, a Companhia vem a público informar que o slogan já foi retirado da campanha, além de apresentar suas desculpas por eventual associação equivocada da frase adotada ao movimento negro, que tanto respeitamos e admiramos", diz a empresa Santher que é responsável pela marca Personal.




0 comentários:

Postar um comentário