quarta-feira, 21 de março de 2018


Na última terça-feira(20), milhares de pessoas se reuniram em frente à Câmara dos Vereadores no Rio de Janeiro para fazer uma passeata em memória da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, assassinados na noite de quarta-feira(14).

Diversos líderes religiosos foram convidados para participar do evento, que acabou se tornando um evento multirreligioso. Entre os líderes religiosos presentes estavam Leonardo Boff, o rabino Nilton Bonder, o pastor luterano Mozart Noronha e a mãe de santo IyáWanda de Omolu. Mas a participação do pastor da Igreja Batista, Henrique Vieira, chamou a atenção por suas colocações.


O pastor que é filiado do partido PSOL, voltou a afirmar algo muito polêmico, que já tinha afirmado em sua participação no programa da Globo, "Encontro com Fátima Bernardes", que Jesus era um "negro favelado de Nazaré". A afirmativa do pastor foi para comparar a morte da vereadora com Jesus. "A cruz não foi capaz de silenciar a voz de Jesus e aqueles tiros não vão silenciar a voz de Marielle", declarou o pastor.

Já com o tom de seus discurso um pouco mais alto, o pastor fez algumas acusações, usando de ironia ao afirmar que Crivella e Silas Malafaia matariam Jesus nos dias de hoje. "Eu quero afirmar, com todo amor e respeito, que os coronéis da fé e vendilhões do templo Crivella, Malafaia e companhia matariam Jesus hoje. Eles não controlam esse povo preto e pobre que usam o nome de Jesus para promover o amor e a graça", afirmou o pastor que foi muito aplaudido pelos presente.


Assista a declaração do pastor:






1 comentários:

  1. Como uma pessoa que se diz pastor faz essa comparação de Jesus com esta vereadora que na verdade deixa uma postura muito duvidos,toma vergonha e vai se converter pastor se é que posso chamar de pastor alguem assim.

    ResponderExcluir